Igreja que comporta três pessoas vira atração turística no Sul de Santa Catarina

Dedicada a São Francisco de Assis, santo protetor dos animais, uma igreja de 4,24m² chama a atenção em Siderópolis, no Sul de Santa Catarina. O templo levou pouco mais de um ano para ser construído, é rico em detalhes e com arquitetura inspirada no estilo alpino medieval, comum no Norte da Itália. Fica em um santuário ecológico, e mais do que devotos, a igreja tem atraído turistas curiosos para conhecer a estrutura que abriga três pessoas.

A área onde foi construído o templo foi comprada pela família Ferreira em 2006. Desde então, eles têm procurado criar atrativos turísticos sustentáveis e promover educação ambiental no local. A igreja dedicada a São Francisco de Assis surgiu a pedido dos visitantes, para que a imagem tivesse um lugar bonito para ficar.

— Minha relação com o santo é desde criança, a oração dele me toca muito, e surgiu a ideia de homenagear ele nesse espaço no meio da natureza, e a gente colocou a imagem em um toco. O pessoal que vinha visitar perguntava por que a gente deixava o Chiquinho no sol e na chuva, que ele precisava de uma cobertura, e daí surgiu a igreja — conta Albertino Ferreira, o Beto, proprietário do local.

O terreno do santuário ecológico fica no entorno da Reserva Biológica Estadual (REBIO) do Aguaí, a maior do Estado com 7,6 mil hectares. Através de passeios, trilhas e contato com a natureza, centenas de pessoas todos os meses conhecem de perto as peculiaridade do bioma Mata Atlântica, um dos mais ameaçados em todo o mundo.

A natureza emoldura a pequena construção, que abriga dentro dela obras de artistas da região. O projeto é do historiador Nicola Gava, que buscou compor o local com o maior número de elementos possíveis. A igreja, considerada pelos idealizadores como a menor da América Latina, pode ser elevada ao patamar de menor do mundo, assim que os documentos forem encaminhados para análise do Livro dos Recordes.

— É uma pequena igreja, diferenciada, pequena e não mini, pois mini é em escala menor e essa é em escala real. Estilo medieval alpino, do Norte da Itália, próximo aos Alpes — detalha o historiador.

Três pessoas cabem com conforto dentro do local, um sacerdote e dois fiéis. Nos detalhes, além dos materiais como madeira e tijolo maciço, torre com sino, cúpula para garantir a acústica, vitrais, o padroeiro São Francisco e a co-padroeira Nossa Senhora Aparecida, dois santos venerados pela religião católica.

Moradora de Criciúma, Valdete Cardozo, 65 anos, não conhecia o santuário no interior de Siderópolis e se encantou com o que viu. Ela e um grupo de mulheres vieram passar o dia e comemorar o encerramento das atividades do ano do Clube de Mães do bairro Santa Augusta. Entre fotos, brincadeiras e muita caminhada, ela disse que o passeio valeu a pena.

— Fiquei bem impressionada com a conservação e respeito ao meio ambiente. O lugar é maravilhoso, parece um paraíso, que estou em outro mundo, outro espaço. A igreja eu achei fantástica, vi pequena assim em Vacaria, mas essa é menor ainda, é linda — elogiou.

Fonte: NSC

Post Author: admin